Logo da beegin
seu portal de investimentos alternativos
ago 18, 2021
Rodada de investimo estimula empresas a perseguirem metas
Compartilhe

Uma característica em comum em todas as empresas bem sucedidas é a sua disciplina na execução estratégica, ou seja, sua capacidade de definir metas e persegui-las. E receber uma rodada de investimento é uma das coisas que incentiva a empresa a adotar essa disciplina.

Jim Collins, em seu estudo sobre empresas que performam acima da média de seus mercados por pelo menos 15 anos[1], já havia identificado que uma característica em comum entre elas é a existência de uma “cultura de disciplina”. Para o autor, “grande parte do desafio de passar ‘de boa a excelente’ reside na disciplina de fazer tudo o que for necessário para se tornar a melhor em determinadas e seletas esferas de atuação – e buscar a melhoria contínua a partir daí”[2].

No Brasil, empreendedores que atuam sozinhos muitas vezes não têm a disciplina necessária para estabelecer metas e persegui-las. Há uma certa cultura da complacência em relação a metas não atingidas. Isto é uma realidade principalmente quando a empresa apresenta resultados positivos, embora abaixo do planejado.

Trata-se de uma armadilha mental, porque nestes casos o negócio não está em crise. Pelo contrário, ele vai bem. Contudo, considerando a realidade do seu mercado, ela poderia muitas vezes ter um desempenho muito melhor.

Como a rodada de investimento contribui para uma cultura de disciplina

Quando uma empresa capta investimentos no mercado de capitais, ela se compromete com o investidor a executar uma estratégia de crescimento. Este compromisso é fundamental para que seu valuation cresça em linha com a expectativa de retorno dos novos sócios.

Evidentemente, uma condição para uma empresa ser atrativa para investimentos é sua capacidade de execução. Ou seja, antes mesmo de a rodada ser realizada e o capital ser injetado no caixa da companhia, ela já está sendo estimulada a adotar uma maior disciplina na execução da estratégia e no atingimento de metas. Afinal, é esse histórico que será avaliado pelos investidores na hora de tomarem suas decisões.

Thomas Edison

A partir deste momento, a definição de metas deixa de ser um exercício teórico e passa a ser um compromisso da empresa com seus investidores. Por isso, não existe mais espaço para tolerar um resultado abaixo do planejado.

Este compromisso passa a impulsionar a empresa no rumo da excelência operacional. Para cumpri-lo, a gestão é estimulada a desenvolver ações para engajar sua equipe, melhorar processos e produtos, medir os indicadores corretos de performance e agir sobre eles.

Esta disciplina de medir e reportar resultados e perseguir metas contribui, portanto, para melhorar a capacidade de gestão da organização. Como consequência, essas empresas acabam gerando mais valor tanto para seus investidores quanto para os fundadores e colaboradores.

Este é mais um motivo pelo qual dar às pequenas e médias empresas acesso a capitais ajuda a dinamizar a economia. Quanto mais empresas financiadas pelo mercado de capitais, mais organizações com excelência na execução estratégica teremos.

Referências

[1] COLLINS, Jim. Empresas feitas para vencer. São Paulo: editora HSM, 2013

[2] COLLINS, Jim. Empresas feitas para vencer. São Paulo: editora HSM, 2013, página 175

O artigo apresenta a visão do colunista sobre a questão abordada, e não reflete a opinião da beegin, do Grupo Solum ou qualquer uma de suas empresas. Sua publicação obedece ao propósito de estimular o debate sobre o mercado de investimentos alternativos e suas tendências.

Por Donato Ramos

Donato Ramos é Sócio da AdVentures, uma Brandtech e Ventures Partner. Foi sócio Diretor do Grupo Uni.co e Diretor Executivo da Imaginarium de 2015 a 2021, além de sócio da Squadra Investimentos de 2012 a 2021. Foi Sócio Diretor da Rede Mundo Verde, atuou no Banco Modal e na Embelleze.

Related Post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *